The Throne [Filme]

Eu me sinto muito atraída por fotografia quando se trata de doramas e filmes e isso é sempre a primeira coisa que me chama a atenção. Caracterização e cenário são critérios muito importantes pra mim quando eu estou me decidindo sobre o que assistir (e outras coisas são agregadas depois que começo, como OST e atuação, é claro). Com The Throne não foi diferente e obviamente quando bati os olhos pela primeira vez nas imagens do filme, senti que precisava assistir.

The Throne-tp.jpg

  • Filme: The Throne (O trono)
  • Romanização: Sado
  • Hangul: 사도
  • Data de lançamento: 16 setembro de 2015
  • Duração: 125 min.

“Na Coréia do século XVIII, o Rei Yeongjo aspira ser um monarca perfeito apesar da sua mãe ser de uma classe baixa e os boatos de que teria matado o irmão mais velho que subiria ao trono. Em idade tardia, o Rei tem um filho, Sado. Nomeado pelo próprio soberano como príncipe herdeiro, ele espera que o filho siga seus passos, porém, Sado prefere as artes marciais e a pintura. Ao invés de se mostrar um pai benevolente, Yeongjo o recrimina como um rei rigoroso a uma sentença sem volta.”

Além de uma fotografia perfeita que já chama a atenção logo de cara, The Throne conta com um elenco de peso como Song Kang Ho, Moon Geun Young, Seo Ye Ji, So Ji Sub e  Yoo Ah In, que foi o que me carregou de vez pra esse filme.

Conheci Ah In através de Six Flying Dragons e ele me conquistou logo que apareceu. A atuação dele é muito forte, muito emocional, expressiva,  acho incrível como ele consegue me deixar abalada sempre que seus personagens tem explosões de sentimentos e ele pode mostrar realmente a que veio. Recentemente ele entrou na minha listinha de atores favoritos então eu não podia deixar de conferir The Throne.

Se você gosta de assistir algo e depois passar dias pensando naquilo, refletindo sobre as coisas da vida (como eu), The Throne é uma boa pedida. O filme, como todo bom épico, mexe muito com os sentimentos, é bonito, trágico e cruel.

O enrendo, as atuações, as situações são todas muito intensas, daquelas que faz o coração disparar, e é até um pouco desesperador, mas não pense que isso é ruim, muito pelo contrário, te faz querer mais e mais e mais.

Já nos primeiros minutos, antes mesmo de aparecer o nome do filme, somos envolvidos em uma cena de tirar o fôlego, regida por uma música que me deu arrepios e eu fiquei tão nervosa que minhas mãos suaram. Essa cena na verdade é o início do desfecho do filme… difícil explicar.

Como de costume, os possíveis spoilers vão estar dessa cor, assim você pode evitar lê-los.

Pra ficar mais simples de entender, vou contar um pouco sobre o filme sem seguir a ordem que foi apresentada, porque lá passado e presente são mostrados juntos.

Só pra vocês entenderem melhor, o filme começa basicamente mostrando o momento em que, no ápice de sua loucura, o príncipe Sado pensa em assassinar o próprio pai, o rei Yeongjo, mas ele é pego e o rei retira seu título de príncipe e faz dele um mero plebeu. Como se não fosse o suficiente, Sado passa 7 dias preso dentro de uma caixa de madeira no meio do pátio do palácio, sem água ou comida, sem nem mesmo poder esticar as pernas.

A cronologia é alternada. Ao mesmo tempo que mostra todas as situações de Sado dentro da caixa (como quando ele bebe a própria urina ou quando seu filho implora ao rei para lhe dar um pouco de água e também os surtos psicóticos do príncipe ~preparem-se para a cena das lacraias, aquilo mexeu muito com minha cabeça~), também são mostradas cenas o passado, desde que Sado era uma criança e porque ele chegou ao ponto de enlouquecer.

The Throne : Poster

Príncipe Herdeiro Sado

Sado é apresentado como uma criança com uma inteligência acima da média, ele literalmente “pensa fora da casinha”. Desde criança ele é treinado para se tornar um rei, se casa muito jovem e é submetido a vários estudos cansativos. 

Mas Sado não sente interesse por essas coisas. Ele gosta de artes marciais e pintura, não quer ser um homem poderoso e quando é nomeado príncipe herdeiro, implora por muitas vezes ao pai para que retire sua decisão.

The Throne : Poster

A pressão psicológica em cima de Sado se torna mais evidente (embora ela aconteça desde que ele nasceu) quando o rei o coloca para tomar decisões junto ao conselho e ele se dá conta de que realmente não nasceu para ser um rei. Sado não quer poder, ele quer apenas viver com sua mulher e filho, cuidar de sua mãe (que era uma concubina, por isso nunca foi nomeada rainha) e conviver não com o rígido rei Yeongjo, mas sim com seu pai Yeongjo.

A partir de então acompanhamos um processo de degradação da mente de Sado. Vemos o personagem enlouquecendo de forma desenfreada e é desesperador.

The Throne : Foto

Sobre a mãe de Sado, há uma cena onde ele realiza o ritual para a festa de aniversário de 60 anos de sua mãe, ritual esse que era realizado apenas para a rainha. Essa cena acontece quando o príncipe já está insano. Ele a veste com roupas reais e obriga algumas pessoas a realizarem o ritual. Foi uma das cenas que mais me emocionou, foi muito forte. Ele não compreendia porque o rei Yeongjo não tornava sua mãe uma rainha e as coisas se agravam quando o rei decide se casar com uma mulher extremamente jovem.

The Throne : Poster

Rei Yeongjo

O rei Yeongjo, por sua vez, está cansado do trono. Ele também nunca quis ser rei (segundo ele), mas é um monarca dedicado.

Ele se sente frustrado com Sado e não aceita que o filho esteja interessado em artes quando ele deveria estar decorando livros para ser um bom governante.

A “briga” entre os dois é muito intensa, embora Sado não contradiga o pai.

Quando a avó de Sado, mãe de Yeongjo, falece por causa de algumas coisas que acontecem no palácio, é que Sado começa a questionar o pai e começa a enfrentá-lo também, até então Sado se dedicava como podia para agradar, embora não gostasse, mas a partir dali ele percebe que Yeongjo não é um pai, não é um filho, nem um marido, é apenas um rei, então ele começa a se envolver com pessoas que não eram vistas com bons olhos, por assim dizer.

Várias situações tristes são mostradas, nos levando a entender que Sado na verdade queria apenas afeto e um olhar carinho do pai, enquanto Yeongjo não entendia esse sentimento e queria unicamente transformar Sado em um rei tão perfeito quanto ele.

Eu sei que ficou um pouco confuso, mas o filme não segue uma cronologia certinha, então fica complicado falar sobre ele, apenas assistindo pra entender qual é a sensação.

The Throne conta uma história real e o Rei Yeongjo é lembrado até hoje como um homem cruel que condenou o próprio filho a morte sufocando-o dentro de uma caixa.

Se você sentiu interesse pelo filme e resolveu assistir, eu já aviso: nada de comédia, nada de romance. Isso não acontece em momento algum. O filme é inteiramente cruel e intenso, muito realístico também. Em vários momentos eu tive que pausar, ir beber uma aguinha, acalmar o coração.

Eu que já venho nutrindo um amor pelo Ah In desde Six Fying Dragons, me peguei apaixonada pela atuação tão forte dele em The Throne.

Então essa é a minha recomendação pra quem busca emoções fortes e quer chorar um pouquinho.

Não sei se tem o filme online, mas eu baixei ele pelo Mahal Dramas Fansub.

Vou deixar umas imagens e gifs abaixo só pra aguçar a curiosidade de vocês!!

Annyeong~

Quando o rei Yeongjo se casa com a jovem moça e deixa a coroa, Sado passa algum tempo ajoelhado em frente ao palácio, implorando para que o pai volte porque não quer assumir o trono de forma alguma. Sado quase morre congelado nesse tempo

Ji Sub representa o filho de Sado depois de alguns anos, quando ele se torna rei de Joseon

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s