Age of Youth


5a1451327e2f90.09484988f1ff4373-be46-4f9f-8d0b-965873f52dd0

Age of Youth / Hello, My Twenties! 

Hangul: 청춘시대

Romanizado: Cheongchunsidae (Idade Juvenil)

Ano: 2016

Sinopse:

Cinco universitárias com personalidades variadas compartilham a casa e os problemas delas.

Vale a pena?

Olá, dorameiros de plantão!

Dificilmente vamos topar com outra sinopse tão sucinta, incompleta e ao mesmo tempo tão verdadeira, como a de Age of Youth. Confesso que foi justamente pela temática slice-of-life (gênero não-acontece-nada) que comecei a assistir. Depois de várias doses de amores sofridos e perfeitos, um choque de realidade parecia uma boa pedida.

Hoje não vamos falar de nomes e elenco, porque isso fica em segundo plano aqui.

Logo no primeiro episódio, entendi por que é aquele dorama que você quer indicar para todo mundo! E isso é sério! Os episódios têm em torno de uma hora, então são um pouco extensos, mas não são cansativos, porque a narrativa é leve e envolvente, do tipo que você não se esforça para entender, mas quer muito acompanhar.

Para pensar Age of Youth, é necessário esquecer o óbvio. Já de começo, são cinco protagonistas, universitárias, com idades que variam na casa dos vinte e o foco não é o romance, apesar dele acontecer – ou não, como é de se esperar da vida. Cada uma delas é tão complexa e tão profunda que é impossível não se apaixonar por todas, em suas peculiaridades. Não posso falar de cada uma separadamente, porque não consigo fazer jus às personagens, belíssimas, encantadoras e absurdamente reais. Aliás, real é a palavra chave por trás desse dorama. 

ageofyouth07-00724a

Não tem floreios, meias palavras ou açúcar para amenizar as situações. Se as personagens não agem por conta, nada acontece, exatamente como a vida é. Mas nem por isso é uma história sombria. Ele é cheio de risadas, momentos doces, lágrimas angustiadas e a pesada dúvida da juventude, em toda sua magnitude. Com as cinco personalidades, temos cinco mentes apavoradas com o futuro e o presente (às vezes com o passado) e é muito fácil se identificar com os perrengues que elas enfrentam.

A melhor parte é a interação entre as personagens, tão sutil e calorosa que soa como se fossem amigas nossas também, que moram ali, no apartamento ao lado. A amizade que cresce nos episódios nos faz desejar fazer parte dessa república para garotas e beber cerveja ao redor da mesa de cinco lugares, todos os domingos à noite. De novo, deixando o óbvio de lado, é a amizade o tema central da história, e é ao redor dela que tudo se desenvolve. Desde o início tímido, o crescimento da confiança, a lealdade e a entrega dos sentimentos que depositamos nos amigos, Age of Youth consegue narrar isso de uma forma sensível e verdadeira.

ageofyouth01

Como um ponto positivo extra, a trilha sonora é tão gostosinha que você vai querer baixar toda a playlist – é impossível pular a abertura! As cores claras usadas e a luz natural abundante deixam um clima de primavera que faz suspirar até as almas mais sombrias e me deixava muito animada! 

Vale a pena se tornar mais uma das pessoas que diz “você precisa assistir Age of Youth!”, eu recomendo!

b1d30421c0_103363421_o2

Xoxo, Nana 

 

Anúncios

Oh My Ghost

 

 

oh-my-ghost_t124887-vert

Oh My Ghost / Oh My Ghostess

Hangul: 오 나의 귀신님

Romanizado: O Naui Gwisinnim (Oh meu fantasma)

Ano: 2015

Sinopse:

Na Boon Sun (Park Bo Young) é uma mulher diferente das demais pela sua capacidade de ver espíritos desde muito nova, por isso é extremamente tímida e fechada. Apesar disso, Boon Sun tem o sonho de ser chefe de cozinha e trabalha como Assistente de Chef no Restaurante Sun para conseguir pagar suas contas, mas a jovem é secretamente apaixonada pelo grande Chef Kang Sun-Woo (Jo Jung Suk) e, por ser muito tímida, não tem coragem de confessar seus sentimentos.

Shin Soon Ae (Kim Seul Gi) é uma jovem mulher que morreu sem nunca ter experimentado um romance em sua curta vida. Ela está determinada a seduzir o máximo de homens possível e a perder sua virgindade, acreditando que assim poderá chegar feliz ao pós-vida e vê a oportunidade quando vê Boon Sun na rua enquanto fugia de uma xamã (Lee Jung Eun) e encontra o instrumento perfeito para cumprir sua missão.

Sun Woo está se recuperando de um coração partido, mas logo começa a prestar mais atenção em uma Boon Sun mais ousada e confiante sem saber que esta é na verdade Soon Ae.

Vale a pena?

Olá, dorameiros de plantão!

Oh My Ghost é uma daquelas incríveis surpresas do catálogo. Me atrair não problema, porque adoro o tema sobrenatural em qualquer tipo de gênero, então, gostei da sinopse, apesar de “fantasma virgem” me deixar preocupada com cenas de vergonha alheia.

MAS (e aqui cabe uma caixa alta muito bem) Oh My Ghost é muito mais do que uma fantasma tentando seduzir alguém. No primeiro episódio, assim que a Soon Ae apareceu com uma personalidade incrível, divertida e humana de verdade, eu sentei direito no sofá e percebi que iria colar os olhos na tela. Primeiro que a atriz Kim Seul Gi não tem aquele rosto comum de protagonista boneca de porcelana. Ela é muito expressiva, sem ser forçada, e tem um sotaque ótimo quando começa a gritar (e ela grita bastante). Já fiz a lista de todos os trabalhos dela para conferir.

A outra protagonista, à cargo da fofíssima Park Bo Young, quase me desanimou no começo, mas antes do primeiro capítulo terminar, já estava chorando por causa dela. Digamos que a vida é bem difícil quando não se dorme por causa de fantasmas te chateando o tempo todo.

É ai que entra a Soon Ae, porque, quando ela possui a Boon Sun, também espanta os outros fantasmas (aos berros). A relação das duas é de uma amizade bonita que cresce na medida certa, afinal, não é tão fácil assim viver com alguém a mais no seu corpo. A atuação da Bo Young é incrível por fazer dois papéis e incorporar os trejeitos da Soon Ae. Me arrancou boas risadas.

ghostess16-00281a

O famoso e incrível chef de cozinha merece o prêmio de Oppa dos Sonhos. Como não poderia faltar em um dorama de comédia romântica, ele é um pouco grosso e orgulhoso, mas também é engraçado, gentil e com uma personalidade muito infantil – não no sentido irritante da palavra. Ele dá o braço a torcer, faz caras e bocas e chora várias vezes. Os doramas recentes tem investido muito nisso, mas o ator Lee Jung Eun é um doce de pessoa e eleva em vários patamares a noção do que é um Oppa perfeito.

Por falar em chorar, eles sabem como fazer isso. Choro nota 10 para todos os envolvidos. Nada de lágrima desanimada, aqui é soluço e rosto melado mesmo.

E sabe aqueles surtos de fofura que é impossível controlar? É o que acontece conforme o casal principal, que é um triângulo sutil com o fantasma, vai se aproximando. Não tem aquela enrolação chata de muitas histórias, o chef Sun Woo não vê problema algum em admitir que está apaixonado, principalmente porque é um enredo mais maduro, com beijos de verdade e sem muito drama.

oh-my-ghost

Romance: Ok.

O restaurante ainda conta com uma equipe divertidíssima, que são quatro cozinheiros de mão cheia e um entrosamento que aquece o coração de qualquer um. Parece que eles se conhecem desde sempre e, vamos combinar, é um dorama de dar água na boca. Até fiquei com vontade de cozinhar depois de assistir.

oh-my-ghostess-cooks

Comédia: Ok.

E só isso seria o suficiente para completar um menu saboroso, mas Oh My Ghost ainda revela, aos poucos, que nem tudo são flores, e o mistério sobre a morte de Soon Ae aos poucos ganha forma. É de ficar ansioso do começo ao fim, porque quando tudo começa a ser desvendado, surgem mais complicações.

Suspense: Super ok!

Existem tantos personagens incríveis que é impossível falar de todos e eu já me alonguei bastante. É um dorama que olharia de novo? Amanhã mesmo! Merece um grande e redondo 10 em todos os sentidos e indico sem sombra de hesitação.

Xoxo, Nana

Hwayugi

1_Wi7ySOIhs7EZ7YqAOiaH_g

Hwayugi / Uma Odisseia Coreana

Hangul: 화유기

Romanizado: Hwayugi (Orgânico)

Ano: 2017

Sinopse:

Jin Sun Mi nasceu com a habilidade de ver espíritos, mas isso fez com que sua vida fosse muito difícil. Quando criança, encontrou-se com duas criaturas sobrenaturais, e uma delas, o Sábio da Essência Celestial, Song Oh Gong, fez um acordo com ela: viria salva-la sempre que Jin Sun Mi chamasse seu nome. 25 anos depois, Jin Sun Mi é uma mulher rica e bonita, que tem que lidar com demônios que aparecem em seu caminho. Woo Hwi Chul, o Rei Demônio, está tentando se promover como Deus e Song Oh Gong está desesperado para liberar seus poderes. As coisas se tornam ainda mais complicadas quando, a lenda de que o sangue de um certo humano pode fazer com que qualquer espírito se torne muito poderoso, é confirmada. Song Oh Gong decide comer esse humano, enquanto o Rei Demônio quer protege-lo.

Vale a pena?

Olá, dorameiros de plantão!

Antes de tudo, conciliar a faculdade com a vontade de assistir dorama é bem difícil! Mas vamos lá… Vale a pena?

Geralmente, penso sobre o assunto algum tempo depois de assistir, mas nesse caso, terminei o dorama ontem à noite e fiquei pensando nele até agora, então é justo fechar esse ciclo de uma vez. Confesso que comecei a assistir com o mesmo pé atrás que tinha com Descendants of the Sun: muito queridinho, caiu no gosto de todo mundo… Sim, eu sou esnobe com títulos famosos!

Mas, foi uma surpresa muito agradável! Hwayugi é baseado no conto chinês, Uma jornada para o oeste, de onde, vamos todos relembrar, surgiu a ideia para o personagem Son Goku – familiar, não? Então. Vamos começar falando sobre Song Oh Gong, interpretado pelo ator, cantor, compositor e anfitrião mais carismático de todos os tempos, Lee Seung Gi. O papel seria de outro ator, mas ele recusou e felizmente, fomos agraciados com a interpretação cômica e tocante de Lee Seung Gi. Sabe aqueles papéis que não poderiam ser de outra pessoa? É esse o caso.

1ad1dsvss7

O Sábio da Essência Celestial é um protagonista divertido, mas não cansativo, com uns rompantes de raiva ou infantilidade que são agradáveis e não forçam a barra, como pode acontecer. Em parte, a relação dos protagonistas é um balanço equilibrado porque, na outra ponta, temos a elegante Oh Yeon Seo interpretando Jin Sun Mi. Já vi algumas pessoas reclamando do jeito tranquilo demais da protagonista, que não cai de amores pelo sábio assim de cara, mas isso também combina com a trama.

Hwayugi não é um amor adolescente, mas sobre uma divindade imortal e uma mulher madura, que sofreu muito e enriqueceu sozinha, não precisa absolutamente de um cara arrogante lhe dizendo o que fazer. Só ai já temos ponto importante a favor, é Song Oh Gong que precisa melhorar para se aproximar dela, mesmo que a intenção inicial seja devora-la!

3oSnUmzyZieEEF6w75Xc3ur1wCS

Passando aos coadjuvantes, penso seriamente em fazer uma resenha apenas para eles! Hwayugi tem um elenco de peso para acompanhar os protagonistas. Para começar, tem participação especial do maravilhoso Jang Keun-suk (oppa!) e  Lee Hong Gi como PK, um astro pop, que também é uma divindade doce e bastante humana, que acaba em um dos ships mais fofos e dolorosos de toda a minha vida de dorameira, ao lado da zumbi Bu Ja.

Hwayugi.06.mkv_snapshot_00.50.11_[2018.01.15_16.34.39]

Tem tantos personagens bons que eu poderia falar o dia todo, mas já nos alongamos demais. Se quer um conselho: vá assistir Hwayugi! Minha nota final é 9,5, porque na reta final, pareceu que estavam alongando algumas partes, o que fez perder o ritmo envolvente do começo, mas mesmo assim, amei e recomendo de verdade.

xoxo, Nana

[Parte II] Por que assistir doramas épicos (sageuks)?

Olaaar! Tudo bem? Eu to bem… Bem nervosa porque esse é um dos últimos posts antes de entrar oficialmente em hiatus. Coração tá doendo, mas infelizmente eu não tenho outra escolha (explicações no menu acima).

Mas enfim, estamos aqui com a segunda parte do post sobre sageuks (duzentos anos depois) e como eu me propus a fazer, vou dividir alguns tópicos com minhas razões pelas quais eu acho que valem a pena assistir.

sd.jpg

Como fã do gênero, eu admito que não é algo fácil. A maioria das pessoas não começam no mundo dos doramas através de épicos (eu também não comecei por aqui), e sim pelas comédias românticas, então normalmente detestam o primeiro contato com sageuks.

Eu detestei, achei tudo estranho, inclusive a forma como eles falam, tão formais e tudo mais.

Isso é totalmente compreensível, principalmente porque grande parte dos dorameiros começam a assistir por causa de kpop, então esperam algo mais atual, coisas que combinem com esse universo que eles já conhecem.

Por isso, antes de listar minhas razões, eu vou dar a vocês alguns avisos importantes sobre sageuks, coisas que rolam em basicamente todos.

  1. Vai morrer gente sim. Um monte. O tempo todo. Quase todo o elenco (em alguns casos vocês devem levar essa coisa do elenco todo muito a sério). Vocês sabem que as condições da época não eram favoráveis de nenhuma forma, nem mesmo para as pessoas ricas. Se manter vivo era uma luta diária.
  2. O casal protagonista ficar junto é uma raridade, sério, não faça abaixo-assinado alô fãs de Moon Lovers, eu to falando com vocês se eles não ficarem juntos. Eu estou sendo muito honesta com vocês aqui, a maioria dos épicos tratam de relações políticas e são carregados de melodrama, o romance não é algo tããão explorado e eu particularmente adoro isso.
  3. Se apegar a alguém é uma grande cilada, porque das duas uma: ou ele vai morrer, ou ele vai virar o demônio em pessoa, é proposital que você se apaixone por esse personagem.
  4. Você vai passar raiva sim, com certeza, e não adianta reclamar, porque quanto mais você reclamar, mais raiva vai passar. É um ciclo sem fim.
  5. Ah! Você vai sofrer também. Muito. MUITO. M U I T O. M U I T O. E vai chorar provavelmente, em algum momento. Não tem como fugir.
Imagem relacionada

Six Flying Dragons

Dito isso, acho que posso começar minha listinha de razões, certo? Então vamos lá!

  • Mulheres muito fortes

 

Empress Ki

 

Gostaria de colocar esse tópico como primeiro por motivos meio óbvios.

Hoje em dia falar sobre o poder feminino não é mais um tabu como antes embora ainda seja um tanto rejeitado, mas isso toma proporções muito maiores quando falamos de doramas épicos.

Por quê?

Porque se passam em épocas em que as mulheres eram escravizadas, molestadas, inferiorizadas de todas as formas possíveis. Algumas vezes até mesmo tratadas como animais.

É claro que isso é mostrado nos sageuks, e irrita MUITO, principalmente se você é uma mulher. Mas ao mesmo tempo é INCRÍVEL ver como essas mesmas mulheres são absurdamente fortes, corajosas e enfrentam qualquer coisa pelos ideais delas.

E aqui vale uma comparação com os dramas contemporâneos, onde eu geralmente não gosto das mocinhas, porque são sempre todas iguais (e as vilãs também). Essa coisa de “mocinha pobre sofredora órfã que tem 535468435 empregos porque quer fazer faculdade” é tão, mas tão chato… Quando falo da representação feminina nos sageuks, é muito além disso.

Six Flying Dragons

Um drama que é grande exemplo da força das mulheres é Six Flying Dragons (sim, de novo), onde as personagens femininas simplesmente tomaram conta e todas elas, mesmo aquelas que não estavam no foco do drama, eram muito fortes. Cada uma teve um papel essencial pro desenrolar do drama, mesmo as vilãs.

 

Mirror of the Witch também conta com uma representação feminina fortíssima, tanto do lado do bem, quanto do lado do mal. Ambas as personagens eram fortes e determinadas, a luta entre elas é sensacional e faz com que os mocinhos do drama se apaguem quase completamente.

Mirror of the Witch

Resultado de imagem para ruler master of mask gif

Ruler: master of the mask

Em Ruler: Master of the Mask também vemos o lado feminino sendo super bem representado, onde a protagonista busca limpar o nome de seu pai, injustamente acusado e morto, e ela se recusa a deixar que os “mocinhos” façam isso por ela. Também temos a antagonista, que enfrenta tudo e todos de peito aberto, porque acredita em seus ideais.

 

A força feminina nos sageuks é sensacional. Elas são cativantes e inspiradoras, tenho certeza de que vão achar incrível como eu acho.

Imagem relacionada

Six Flying Dragons

  • Plots bem elaborados

Outro ponto mais que positivo sobre os sageuks são os plots (enredos). Você pode até pensar “eh… outro drama com trama palaciana e guerras políticas” e na verdade realmente são, mas cada um deles tem uma particularidade muito grande.

Acho que existe um leque muito grande de opções quando se trata de escolher plots pra sageuks, porque todas as dinastias antigas tinham uma diversidade monstruosa. É possível fazer um drama pra cada pessoa que viveu nessas dinastias, porque certamente todas elas tinham uma grande história pra contar.

Cada novo sageuk trás uma surpresa diferente em suas tramas, fazendo com que, mesmo que aparentemente parecidos, os plots se tornem completamente diferentes.

Resultado de imagem para empress ki tal tal gif

Empress Ki

Também é imensamente difícil saber quem vai ficar com quem (e em alguns casos nenhum dos ships é real), e adivinhar o final (como acontece quase sempre em dramas contemporâneos) é uma tarefa quase impossível. Os dramas históricos são cheios de reviravoltas emocionantes! Traidores, mocinho virando vilão, vilão virando mocinho e por ai vai. Como disse nosso amado Tal Tal de Empress Ki: “Pessoas não criam traidores, o tempo o faz”.

 

 

  • Relações entre os personagens

Hwarang

A forma como os sageuks trabalham com as relações entre os personagens chega a ser mágico e em pouquíssimos minutos vocês sente passou a vida toda ao lado deles.

 

Amizades muito bonitas, romances puros e inocentes, até mesmo a relação mocinho x vilão é cheia de delicadezas e sutilezas, o que as vezes nos fazem duvidar de que lado ficar (e duvidar se os mocinhos são mesmo heróis e se os vilões são assim tão malvados).

Sobre os romances: como eu disse ali em cima, puros, inocentes, mas muito intensos. Sabe aquela coisa de amor eterno e verdadeiro? É algo do tipo, mas incluindo umas 5 doses de sofrimentos.

Resultado de imagem para mirror of the witch gif

Mirror of the Witch

E por falar em sofrimento…

  • Emoções a flor da pele

Se tem uma coisa que você vai passar assistindo sageuk, essa coisa é nervoso. Sério, não faça planos, não tente adivinhar nada, vai ser tudo diferente do que você pensa. E tudo, absolutamente tudo, com uma carga emocional muito alta.

Como esse tipo de coisa pode estar entre os motivos pra assistir esse gênero?

Ora, é óbvio. Todas as surpresas, todo o clima tenso. Eu não sei vocês, mas eu adoro essa sensação que os dramas épicos passam que deixam a gente em estado de alerta do começo ao fim.

Essa coisa da carga emocional é muito séria. Tudo é muito elevado quando se trata de emoções e qualquer ceninha acaba arrancando uma lágrima ou um suspiro.

Moon Lovers

 

  • Conjunto áudio-visual

Como sempre, a louca aqui sempre cai por fotografia e OST, e quando falamos de sageuks, isso toma proporções gigantescas.

É muito difícil um drama histórico ter uma fotografia ruim. Os cenários são estonteantes, os figurinos são surreais, penteados, acessórios, casas, palácios, tudo é inacreditável. Até o menor dos detalhes chama a atenção e mesmo os cenários naturais são interessantes e bonitos.

Saimdang, Light’s Diary

Os figurinos me prendem muito a atenção, e eu sempre me pego maravilhada com essas roupas e acessórios.

Imagem relacionada

Empress Ki

 

E as OSTs são cinematográficas, se encaixam perfeitamente nos subgêneros dos dramas. Empress Ki por exemplo, tem uma OST bem melancólica, já Six Flying Dragons conta com músicas mais agressivas, agitadas. Dependendo de como se desenrola o plot, vocês vão ouvir até kpop no meio disso tudo.

  • Atores incríveis

Esse tópico pode soar estranho, mas juro que ele faz sentido. Geralmente os atores presentes no elenco dos doramas épicos são meio que especialistas nisso.

Diferente dos dramas contemporâneos cheios de moçoilos bonitos e essas coisas, nos sageuks nós temos contato com um elenco um pouco mais velho, o que eu, particularmente, acho maravilhoso.

Alguns desses atores são quase essenciais, e quando eu vejo o nome deles na cast eu já sussurro um “esse vai ser bom” pra mim mesma.

Resultado de imagem para sadaebu gif

Six Flying Dragons

Lee Jaeyong é um desses atores. O cara aparece em quase todo drama histórico, nem que seja por um episódio, e eu amo odiar os personagens dele. Lee Moonsik e Jeon Kukhwan são outros nomes que vocês verão com frequência, assim como Jeon Nomin.

 

E não apenas o elenco mais velho, mas o elenco jovem e principalmente o elenco infantil desses dramas são muito MUITO bons. Inclusive, já anotem ai o nome Nam Dareum, tenho certeza de que verão muito ele por ai em breve.

E enfim, existem muitos outro motivos pra assistir um sageuk, mas se eu for listar todos, esse post ficará longo demais e eu acho que isso aqui já foi o suficiente. Mas se ainda assim eu não fui capaz de convencer vocês, deixo aqui um último motivo:

  • Oppas lindos de cabelo comprido, usando hanbok e armadura, e lutando com uma espada

Dá uma boa olhada nessas obras de arte e me diz se não é o suficiente pra ir correndo assistir um sageuk?! Hehe.

Resultado de imagem para chang Wook empress ki

Imagem relacionada

Imagem relacionada

Imagem relacionada

Imagem relacionada

Agora eu tenho certeza de que te convenci! /corre

E é isso ai, espero ter ajudado você que estava com dúvidas se assistia ou não os assustadores doramas épicos.

Aproveitando o post, acho que já viram que o blog vai entrar em hiatus, certo? Eu pretendia postar algumas resenhas antes de isso acontecer, mas não vai dar tempo, então esse é provavelmente o último post do blog por um longo tempo. Mas como eu já tinha dito, eu espero conseguir comprar um novo computador em breve e ai o blog volta a funcionar direitinho.

안녕~

 

Onde assistir o dorama ‘The King Loves’ legendado em português?

King Loves-p2.jpg

Drama: The King Loves
Hangul: 왕은 사랑한다
Romanização: Wangeun saranghanda
Emissora: MBC
Episódios: 40 (cerca de 30 minutos cada)

Sinopse: Baseado em uma trilogia de sucesso e ambientado na época de Goryeo, Wang Won (Siwan) é o Príncipe Herdeiro. Ele tem uma aparência bonita, mas também tem alto desejo de conquista. Seu melhor amigo é Wang Rin (Hong Jong Hyun), também filho da família real e é seu guarda costas. A bela Eun San (Yoona) é a filha do homem mais rico de Goryeo, depois do Rei. 
Os três se conhecem ainda jovens, mas as coisas mudam depois que Wang Won e Wang Rin se apaixonam por Eun San ao mesmo tempo. Agora, a amizade que os dois construíram lado a lado como melhores amigos durante toda a sua vida, se vê ameaçada pelo jogo político e por seu amor pela Eun San. 

Onde assistir:

♔ Kingdom Fansubs

 

IMPORTANTE:

Eu não tenho nenhuma ligação com / não faço parte da equipe de nenhum fansub, eu apenas indico os lugares onde os dramas e programas estão disponíveis legendados.

Qualquer problema deve ser resolvido com as respectivas equipes.

Os links que eu disponibilizo aqui são todos direcionando para os fansubs e é lá que vocês encontraram os links para assistir / fazer download, tem várias opções. Se você não sabe como se cadastrar nos fansubs, tem um tutorial aqui.

Nunca, em hipótese alguma, compartilhe os links diretos para download de nenhum fansub. Os fansubs são fechados / pedem cadastro exatamente para que possam ter um controle maior de quem usa, e assim podem fazer um trabalho com mais qualidade. Respeitem o trabalho deles.

Os fansubs costumam usar o adf.ly, mas sem drama, tem um tutorial sobre ele aqui.

[Parte I] Por que assistir doramas épicos (sageuks)?

Olá! Cá estamos nós e com nós eu me refiro a uma pessoa, como sempre com um post um tanto diferente. Já faz algum tempo que eu estou com vontade de escrever isso aqui, mas é claro, a preguiça não estava deixando. Enfim, finalmente nasceu.

Esse tipo de post “porque assistir tal gênero de drama” na verdade é muito comum, já vi vários como o mesmo tema, mas eu queria dar aqui minhas próprias razões. E resolvi liberar ele hoje por motivos de: ANIVERSÁRIO DE 1 ANINHO DO DORAMANIAC! *assopra a velinha*

Resolvi dividir esse post em dois, pra não ficar muito grande. Essa será a primeira parte, falando algumas coisas bem básicas sobre o gênero. O próximo provavelmente será dividido em tópicos, onde eu vou falar um pouquinho sobre as minhas razões pra gostar tanto de dramas épicos.

sd.jpg

 

Continuar lendo

Onde assistir ‘My Sassy Girl’ legendado em português?

My Sassy Girl (Korean Drama)-tp.jpg

Drama: My Sassy Girl
Hangul: 엽기적인 그녀
Romanização: Yeopgijeogin Geunyeo
Emissora: SBS
Episódios: 32 (cerca de 30 minutos cada)

Sinopse: É fácil se apaixonar quando o objeto de sua afeição é ridiculamente atrevida? Quando um erudito insensível cruza o caminho de uma princesa atrevida, ele não percebe que a garota que pensa ser tão errada pode ser, na verdade, a certa. Gyun Woo é um erudito. Estudioso e sem tempo para as bobagens da vida, ele só presta atenção no que precisa fazer, e seu trabalho é ensinar o Príncipe Herdeiro. Contudo, no palácio, Gyun Woo conhece a princesa Hye Myeong. As princesas de Joseon são treinadas para serem femininas e graciosas, mas essa garota matou as aulas desse treinamento e é exatamente o contrário. Ela é barulhenta, desagradável e cumprimenta nosso herói vomitando nele. O pobre erudito não percebe a cilada na qual se meteu, nem para onde seu coração vai levá-lo.

Onde assistir:

Kingdom Fansubs

♔ Fighting Fansub

(No fórum acima é necessário cadastro, mas é gratuito. Ele têm diversas opções de download e também para assistir online. Se você não sabe como se cadastrar nos fansubs, tem um tutorial aqui.)